Originariamente a Suíça não é uma nação, mas uma liga de diversas repúblicas e comunidades com sua própria história, de diferentes origens étnicas e línguas diversas. Em 1848 estas comunidades se uniram formando um Estado Federal divido em 23 unidades denominadas de cantões. Isto faz com que existam 4 línguas oficiais: o alemão, o francês, o italiano e o romanche, que atualmente é uma língua em processo de extinção.

 

O relevo do país é muito acidentado e não há uniformidade de clima. Não existe no mundo outra região montanhosa tão densamente povoada. Topograficamente a Suíça se divide em 3 regiões: os Alpes, o Platô suíço e o Jura. Os Alpes são formados de massas graníticas, de maciços cristalinos e calcários. 

Dois terços do país são montanhas cobertas de neve, gelo, rochedos, cascalho, florestas e pastagens. Um quarto apenas de sua área total de 41.285 km2 (o Platô e parte do Jura) se presta à agricultura. 

 

A cadeia de montanhas dos Alpes se elevou quando a placa continental européia colidiu com a africana há 60 milhões de anos. Nesta foto é possível ver a divisa entre a França, Itália e Suíça, da cabine de um vôo da Air France. A seta vermelha aponta para o ponto mais alto da Europa: O Mont Blanc (4.807 m).

 

A Cláudia, desde criança, sonhava em conhecer esta região. Aí, decidimos pegar um trem noturno de Nice até Genebra, no vagão liteira (11 confortáveis horas de viagem). Este vagão tinha capacidade para 4 pessoas, mas o comissário achou que nós estávamos em lua-de-mel e fomos sozinhos. Adivinha se nós não... 

 

 

 

 

O descongelamento das geleiras logo após a era glacial, deu origem a diversos lagos, sendo que um dos maiores deles é o Lac Léman. Atualmente, ele é alimentado pelas águas de degelo das montanhas alpinas (riozinho à esquerda). Nele nasce o violento Rio Rhône (que vai passar por Avignon).

 

Ao redor deste lago se encontram diversas cidades maravilhosas, entre elas Genebra, Lausanne e Vevey, que nós pudemos visitar.

 

Aqui nós estamos em Genebra, na foz do Lac Léman e origem do Rio Rhône. Devido à temperatura muito fria e a sua origem glacial, suas águas são cristalinas, de um azul profundo.

 (www.geneve-tourisme.ch)  

 

 

 

 

O João bem que tentou depositar alguns reais num Banco Suíço, mas eles disseram que já tinham muitas contas milionárias de brasileiros...

 

Uma das atrações mais bonitas de Genebra são os jardins, onde eles conseguem dar formas perfeitas com as podas das plantas, principalmente no famoso Relógio das Flores.

 

 

 

 

Este é o Jardim Inglês que fica em frente ao lago. Como nós estivemos lá no início do outono, a paisagem era belíssima, com as folhas de árvores caducas por todos os lados e de todos os tons imagináveis!!! 

 

 

 

Os pinheiros são uma das poucas árvores que não perdem suas folhas no inverno rigoroso. Este arbusto, que é tido como símbolo de Natal, também mantêm suas folhas verdes e pontiagudas além de frutificar. É conhecido como holly ou azevinho.

 

 

Contornando o Lac Léman pelo lado norte no sentido leste, chegamos à Lausanne, cidade sede do Comitê Olímpico Internacional. Neste caso, a foto não revelou bem o momento, mas as árvores do fundo estavam cada uma de uma cor diferente.

 

 

 

 

 

Em dias propícios, é possível fazer passeios neste iates pelo lago, percorrendo-o de leste a oeste.

 

A próxima cidade é Vevey e maiores informações sobre ela podem ser obtidas nos sites:  www.vevey.ch/  e  www.veveytourism.ch

 

Vevey é a cidade do coração de Charles Chaplin. Embora ele tenha nascido em  16 de abril de 1889, em Londres - Inglaterra, seu último desejo foi de ser mantido em Corsier-sur-Vevey, quando ele faleceu em 25 de dezembro de 1977.

 

É em Vevey que se encontra a sede da Nestlé (vide rótulos dos produtos Nestlé - Leite Ninho).

 

 

Vevey é uma cidade pequena que contrasta com o enorme lago à sua frente e faz isso de uma maneira bem charmosa. Parece um pedaço do paraíso...

 

Em 1815, no Congresso de Viena, as potências européias prometeram à Suíça o "reconhecimento e a garantia perpétua de sua neutralidade". A neutralidade é uma posição política do Estado: a Suíça não interfere nos conflitos internacionais e não celebra alianças com outros estados. Isto faz da Suíça um país que cultua a paz!!!

 

VOLTAR